A Serra Gaúcha deverá permanecer mais uma semana na bandeira vermelha do modelo de Distanciamento Controlado do Governo do Estado. Dessa vez, a Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne) não encaminhou pedido de reconsideração ao Comitê de Crise. Essa é a primeira vez que a entidade que representa os municípios da região não contesta os resultados. Nesta rodada, as regiões de Bagé e Pelotas foram classificadas com bandeira preta, considerada de risco epidemiológico altíssimo para contágio da covid-19. Já a região de Cruz Alta foi classificada com bandeira laranja.

De acordo com o presidente da Amesne e prefeito de Cotiporã, José Carlos Breda, a entidade optou em não recorrer focar para que a região não alcance o patamar de risco altíssimo de contaminação do novo coronavírus na próxima divulgação de bandeiras. Breda alertou a população que, caso a população não fizer a sua parte, a Serra Gaúcha corre o risco de passar as festividades de final de ano na bandeira preta.

Breda aponta que a situação está delicada, principalmente em decorrência da quantidade de leitos de UTI ocupados. “Se fizermos as ações que estamos recomendando, vamos passar Natal e Ano Novo em bandeira vermelha. Se descuidarmos, vamos passar em bandeira preta. Mais três leitos de UTI ocupados e estaríamos na preta”, alertou.

A nova rodada do modelo de distanciamento passa a valer na terça-feira, 15, e segue até a segunda-feira, 21.

Veja a classificação prévia da 32ª rodada em https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br

O momento é de extremo alerta: o Rio Grande do Sul observou aumento em quase todos os indicadores monitorados pela equipe do Distanciamento Controlado. Houve elevação, nos últimos sete dias, de 14% nas hospitalizações por Covid-19 (de 1.174 para 1.338 casos), que alcançou o maior número desde o início do monitoramento.

Também é o número mais elevado de pacientes em UTI, em leitos clínicos e de óbitos. As mortes cresceram 15% nesta semana, chegando a 409 registros. Como resultado, há o menor número de leitos livres (407) no Estado, bem como a menor razão de leitos livres para cada ocupado (0,44), que baixou de 0,5 também pela primeira vez. Por isso, o governo do Estado reforça a necessidade de a população seguir os protocolos e as regras sanitárias estabelecidas pelo modelo.

Até as 6h de domingo (13/12), municípios e associações podem enviar pedidos de reconsideração ao mapa preliminar para o governo por meio do formulário https://forms.gle/amfsky7ZjRLDdk1G8. Depois de analisados pelo Gabinete de Crise na segunda-feira (14/12), o governo do Estado divulgará as bandeiras definitivas, vigentes de 15 a 21 de dezembro.