Município detém o título de cidade com o maior número de empreendimentos familiares do Estado

A agroindústria foi um dos setores menos afetados economicamente pela pandemia da Covid-19 no país. Mesmo que tenha passado por uma queda na produção de março e abril de 2020, já está se recuperando, segundo o Índice de Produção Agroindustrial (PIMAgro), apresentado mensalmente pelo Centro de Estudos do Agronegócio (Fundação Getúlio Vargas Agro – FGV).
A relação de produtos de matéria-prima para o beneficiamento de frutas na produção de doces cremosos se mantém estável em Bento Gonçalves. “Alguns produtores buscam frutas fora do município para o processamento, principalmente as pequenas, como mirtilo, amora e framboesa. No entanto, quando se trata de frutos da nossa região, podemos destacar o processamento de doces de figo, uva, morango, pêssego, marmelo, goiaba, bergamota, laranja e maçã. A maior parte delas são encontradas na cidade, na propriedade das agroindústrias, com exceção da maçã, que normalmente é trazida do município de Vacaria”, esclarece a engenheira agrônoma da prefeitura, Sheila Carvalho. Apesar disso, um pequeno aumento foi constatado na viticultura.
A pandemia da Covid-19 não afetou a produtividade. Contudo, houve uma quebra na produção de pêssego e ameixa, devido às condições climáticas, como geada na floração e estiagem na maturação. No entanto, a Secretaria aponta que é cedo para estimar o quanto foi perdido. “Seguimos os mesmos índices médios do Rio Grande do Sul. Nossos frutos possuem grande aceitação dentro dos varejos do município, assim como nas feiras livres, bem como, no mercado externo, onde são abastecidos supermercados, distribuidoras e fruteiras em todo o país”, afirma Sheila.

Frutas são comercializadas também fora do Estado
Todos os frutos são vendidos no município. Contudo, a uva —, utilizada principalmente para o beneficiamento na elaboração de vinho e suco —, além do pêssego, ameixa, laranja e bergamota, também são comercializadas no estado.
Destaca-se a venda externa de frutas como pêssego e ameixa, principalmente para os estados da região Sudeste e Centro-Oeste, além de Santa Catarina e Paraná.