Após receber o primeiro lote de vacinas contra a Covid-19, o governo do estado abriu no final da noite desta segunda-feira, 18, às 23h45min, a campanha de imunização contra o coronavírus no Rio Grande do Sul.

Um ato simbólico, realizado no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), deu início à imunização dos gaúchos com a vacinação simultânea de cinco pessoas.

As vacinas chegaram ao Rio Grande do Sul às 22h13min, em um primeiro avião. A segunda parte do material imunizante chegou ao Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, às 22h56min. Os dois aviões são da companhia aérea Azul.

Primeiros imunizados:

Representante dos técnicos de enfermagem:
Aline Marques da Silva, 40 anos, há 11 anos trabalha no Hospital de Clínicas, atualmente na CTI Covid da instituição
Representando os idosos:
Heloína Gonçalves Born, 99 anos, residente no Donna Care Lar de Idosos, instituição de longa permanência de Porto Alegre
Representante dos médicos:
Jorge Amilton Hoher, médico-chefe do serviço de Medicina Intensiva da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre
Representante dos serviços de higienização hospitalar:
Joelma Kazimirski, 48 anos, auxiliar de higienização do Grupo Hospitalar Conceição
Representante dos indígenas:
Carla Ribeiro, 32 anos, da etnia kaingang e residente da Aldeia Fag Nhin, na Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre

Governador Eduardo Leite com Heloína Gonçalves Born, de 99 anos, na abertura da campanha de vacinação contra o coronavírus no Rio Grande do Sul

O estado recebeu nesta noite 341,8 mil doses da CoronaVac, vacina do Instituto Butantan, produzida em parceira com o laboratório Sinovac, e programou para iniciar imediatamente a distribuição para as 18 Coordenadorias Regionais de Saúde. Dessa forma, na terça, 19, os municípios já poderão começar a vacinação.

A campanha no Rio Grande do Sul vai seguir as diretrizes do Plano Nacional e Imunizações, priorizando os grupos de risco. Nesta primeira fase, serão os profissionais da saúde da linha de frente contra Covid-19, idosos que vivem em instituições de longa permanência e indígenas.

“Peço para que ajudem os profissionais de saúde, mais do que aplausos e postagens em redes sociais, usando a máscara, não se aglomerando, cumprindo os protocolos, higienizando as mãos. Essa é a verdadeira homenagem que podemos fazer a esses profissionais de saúde. Estão cansados, não se rendem, mas precisam ver nas ruas uma população cumprindo as regras.
Eduardo Leite
Governador do Rio Grande do Sul

A distribuição

Após a separação por regional, por critérios populacionais, as doses das vacinas recebidas nesta noite pessoalmente pelo governador Eduardo Leite no Aeroporto Salgado Filho, serão despachadas para a capital e para as 18 Coordenadorias Regionais de Saúde (CRS).

Inicialmente, vão ser imunizados os profissionais de saúde da linha de frente em hospitais, Atenção Básica e rede de urgência e emergência, pessoas acima de 60 anos que vivem em Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPI) e população indígenas aldeadas.

Nesta terça serão encaminhadas 170,8 mil doses aos municípios, aproximadamente a metade do recebido. Para a região da 5ª Coordenadoria Regional de Saíude (CRS) com sede em Caxias do Sul e abrangência sobre Bento Gonçalves, serão destinadas 14 mil doses.

O envio – a partir de Porto Alegre – será realizado por via terrestre e aérea, com o apoio da frota de aviões da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Ainda nesta terça serão definidas as quantidades por município, após o trabalho nas coordenadorias de separar as caixas para cada cidade, seguindo os critérios populacionais dos grupos prioritários.

Entre o público destinado para o início da campanha, 138 mil doses são destinadas aos trabalhadores da saúde. Isso representa 34% estimado para esse grupo no estado. Por isso, a orientação é que sejam vacinados aqueles que lidam de forma mais direta com pessoas com a Covid-19, em hospitais, Samu e na Atenção Básica.

De acordo com o recebimento de doses, os demais integrantes da área da saúde serão gradativamente incluídos. No total, o público de trabalhadores do setor da saúde estimado é de 400 mil pessoas no Rio Grande do Sul. Outras 9,8 mil doses estão previstas para as pessoas 60 anos ou mais institucionalizadas, deficientes institucionalizados e trabalhadores de Instituições de Longa Permanência de Idosos. Para a comunidade indígena que vive em aldeias, são mais 14 mil doses destinadas.

Como vai ficar:

Porto Alegre: 51.600
1ª CRS (sede Porto Alegre – 65 municípios): 26.000
2ª CRS (sede Frederico Westphalen – 26 municípios): 4.360
3ª CRS (sede Pelotas – 22 municípios): 12.400
4ª CRS (sede Santa Maria – 32 municípios): 8.400
5ª CRS (sede Caxias do Sul – 49 municípios): 14.000
6ª CRS (sede Passo Fundo – 62 municípios): 10.200
7ª CRS (sede Bagé – 6 municípios): 1.760
8ª CRS (sede Cachoeira do Sul – 12 municípios): 2.720
9ª CRS (sede Cruz Alta – 13 municípios): 1.920
10ª CRS (sede Alegrete – 11 municípios): 4.000
11ª CRS (sede Erechim – 33 municípios): 5.360
12ª CRS (sede Santo Ângelo – 24 municípios): 3.560
13ª CRS (sede Santa Cruz do Sul – 13 municípios): 4.400
14ª CRS (sede Santa Rosa – 22 municípios): 2.360
15ª CRS (sede Palmeira das Missões – 26 municípios): 6.040
16ª CRS (sede Lajeado – 37 municípios): 4.240
17ª CRS (sede Ijuí – 20 municípios): 3.200
18ª CRS (sede Osório – 23 municípios): 4.280

Fotos: Reprodução página do Governo do Rio Grande do Sul na rede social Facebook