A Advocacia-Geral da União (AGU)recorreu na tarde desta quinta-feira da decisão da Justiça Federal que permitiu o adiamento do Enem no Amazonas, que enfrenta grave crise sanitária pelo aumento de casos de coronavírus.

“Qualquer decisão que afete os procedimentos referentes ao cronograma do Enem refletirá nos cronogramas do Sisu, do Fies e do Prouni, resultando, necessariamente, em graves danos ao candidatos, a todas as instituições públicas e privadas envolvidas, e ao interesse público como um todo”, diz o recurso.

Na ação , a GU aponta “grave lesão à ordem pública” e alega que organização do exame estava sendo feita com “medidas de biossegurança necessárias à garantia da saúde dos inscritos”.

A prova, que já havia sido adiada em 2020, está marcada para acontecer a partir deste domingo em todo o país. Epicentro do caos que assola o Amazonas, Manaus está sem oxigênio nos hospitais que recebem pacientes com covid-19. 

Continua após a publicidade